De novo.

MANIPU~1
Esses dias estão sendo muito difíceis para mim. Estou lutando contra uma depressão absurda de novo, seguida a surtos de delírio psicótico de ciúmes. Obviamente meu namoro chegou ao fim, mas ainda não sei se foi por conta das diferenças que temos, de um possível chifre ou influencia de certas coisas “invisíveis”. Não sei se consigo ficar sozinha. Por causa do meu Border tenho uma dificuldade imensa em ficar só, então acabo aceitando relacionamentos que me fazem mal. Sim, me fez mal. Impressionante ver o que um border não faz pra evitar abandono, mesmo não amando de fato a pessoa. Comecei esse relacionamento totalmente descrente e com medo de me envolver, e sim, era totalmente fria para evitar mostrar sentimentos e a pessoa me controlar. Com a carência e a saudade que sentia de outra pessoa, fui me permitindo descer o escudo, e pouco a pouco, essa pessoa começou a usar minhas fraquezas contra mim e me deixar mais dependente dela, sabendo da minha patologia e que seria difícil pra mim deixa-lo, mesmo que ele pisoteasse na minha cabeça. Esse relacionamento ficou totalmente unilateral, pendendo para o lado dele. Passei a ser tratada como empregada, cobrada, humilhada…é aquela coisa, o medo do abandono não te deixa reagir, mesmo sabendo que está num relacionamento abusivo.
No começo eu tinha vergonha dele. fazia pouco caso. Agora estou dentro do quarto surtada por alguém que não me considera, totalmente confusa, machucada, negligenciada, feita de idiota. As desculpas são as piores, muito trabalho, celular sem bateria, visitar o filho…a gente finge que acredita pra não dar briga, porque não tenho estomago pra briga. não tenho emocional pra conflitos, porque minha própria cabeça é um conflito. Eu deveria mesmo ver os sinais, aqueles que vejo mas finjo não ver, quando levei um pé pela ultima vez porque estava com um galho imenso na cabeça.

Um compromisso comigo mesma

borderline

Esse é o primeiro post de mais um blog que tento fazer. O problema é que, eu sempre abandono as coisas que faço, mesmo que tenham sido criadas com o maior entusiasmo do mundo. Acho que o objetivo foi desabafar um pouco sobre um momento difícil que venho passando e ter algum lugar para espalhar minhas minhocas da cabeça. Vou tentar manter um compromisso comigo mesma de manter esse espaço atualizado, apesar de Borders serem imprevisíveis e inconstantes. Lógico que não vou falar só de Border e Compulsçao alimentar. Espero ter coisas legais e interessantes para contar por aqui. Não vou sair divulgando o blog a torto e direito, porque infelizmente as pessoas tem preconceito, e temos uma “imagem social” a zelar. Mas essa é a verdadeira Bruna, aqui não preciso fingir nem ser um rascunho passado a limpo mil vezes antes de se apresentar como profissional, colega, amiga, universitária, filha, namorada.